glossário do esquema conceitual do possível serdual - Busca e Espera

Busca e Espera

Sobre a busca e espera: “Por exemplo, a crença em extraterrestres, que muito acreditam que existam, com argumentos mesmo convincentes, mesmo que nunca se tenha visto alguma evidência irrefutável de extraterrestre ou nave espacial para além das obras de ficção, ou interagido nem que fosse por, pelo menos, uma troca de e-mails ou até sinais ancestrais de fumaça – mas ainda assim há os que os desejem ocupar este espaço conceitual criado e persigam todos os indícios para que possam, enfim, atestar a máxima imanência destes. Buscam os ET’s, literalmente, na Área 51 dos desertos de Nevada/EUA, nos eventos de observação e contatos imediatos, no Google, no Tinder, ou ainda em outros lugares místicos. Tudo passa a ser suspeito, conspiratório, a dado momento em que todas as tentativas são frustradas e pensam conspirativamente como se estivessem todos os ET’s a serem escondidos.

.

Onde saibam que tenha aparecido alguma nova “evidência”, há uma comoção para se investigar antes de as forças de defesa ou a NASA ocultarem os factos, há sempre uma vilã declarada que está sempre a impedir que sejam os ET’s “conhecidos”, e que assim se possa alocar estas entidades nos entes já engendrados pela consciência. E todo um complexo de indústria de divulgação extraterrestre se formou, enquanto outras destas esperançosas indústrias aguardam o retorno de algum messias, outras aguardam a primeira aparição de um sinal alienígena, mas todas a venderem algo e a captarem dinheiro, enquanto aguardam. Sempre a aguardar, pois estão todos dentro do instante, da imobilidade, em que veem ali alguma eternidade e, por bem, muito lucrativa enquanto nada ocorre, pois assim seus negócios passam a serem também eternos.

.

O dramaturgo irlandês Samuel Barclay Beckett (1906 – 1989) capturou esta espera angustiante em sua peça fenomenal “Esperando Godot”[1], quando as personagens Estragon e Vladimir «aparentemente esperam um sujeito de nome Godot. Nada é esclarecido a respeito de quem é Godot ou o que eles desejam dele» e assim ficam, durante toda a peça, a aguardar por Godot, sem nunca saberem nada sobre sua aparição. Enquanto aguardam, a vida flui, e passam por eles diversas outras personagens, em diversas situações, dadas como possibilidades.” (em O Guia Cínico e Selvagem dos Jogos da Vida, Cap. XI)


Notas: busca e espera

[1] “En attendant Godot”, na língua original, em francês. 1952. Acedido em 26/04/2022 em https://pt.wikipedia.org/wiki/En_attendant_Godot.

Deixe um comentário

X