glossário do esquema conceitual do possível serdual - feedback afetivo

Feedback Afetivo

“…mas o que acaba por importar, em toda relação, é mesmo o feedback afetivo do outro, da fantasia que está em jogo. Isso dá a qualidade, a intensidade, e é o que todos querem realmente.

A empresária brasileira Raquel Pacheco (1984 –), também uma famosa ex-profissional do sexo, que ficou conhecida pelo nome de Bruna Surfistinha, fazia exatamente isso, ao comentar, avaliar e pontuar seus clientes, anonimamente, através de apelidos que eram publicados em seu blog e, assim, havia a fantasia destes para que fossem bem pontuados, como se estivessem em um jogo, a darem o máximo de si naqueles momentos em que o relacionamento se dava, e que ainda haveria outro prazer pós-sexo, de saber como seria avaliado, posteriormente.

Ela não “vendia” apenas o seu corpo, mas o seu feedback afetivo, e por isso pagavam-lhe muito mais do que pelo corpo. E seu sucesso veio quando ela percebeu o valor agregado que havia nas fantasias dos clientes, sem que estes dessem conta disso. A generosidade das avaliações, obviamente, era evidente e, assim, sempre destacava algum aspeto positivo nos clientes que, desta forma, tinham ali o segundo gozo. Afinal, era uma relação sexual e comercial bem estabelecida, ao menos como podemos supor. E aí há o problema do consentimento, o ponto crucial de tudo isto.” (em O Guia Cínico e Selvagem dos Jogos da Vida, Cap. IX)

Conteúdo Protegido.

Deixe um comentário

X