glossário do esquema conceitual do possível serdual - impossível

O Impossível

“(ver também: real)… E não será difícil uma rápida reflexão para perceberemos que, na vida, o que consideramos serem impossibilidades não duram por muito tempo, pois estas nunca são dadas como definitivas pela mente humana. Impossibilidades são consideradas assim apenas por brevíssimos momentos, pois para toda situação de impossibilidade detetada, há sempre a seguir uma possibilidade de anulá-la, ultrapassá-la, de fazê-la possível, como tudo o que há, seja pela busca criativa humana ou esperança em algum agente externo que esteja presente ou ainda que seja apenas uma mera promessa, uma possibilidade. Ou seja, há uma crença instantânea, quase um gatilho que para toda a impossibilidade há ou haverá um remédio. Se o remédio funciona ou não, passa a ser irrelevante, mas só a consideração dele faz a impossibilidade deixar de ser impossível.

A impossibilidade é sempre uma resistência a algo, a alguma possibilidade existente. A impossibilidade nunca é original, mas sim derivada de algo. Antes da impossibilidade, já há a possibilidade à qual ela se refere ser impossível. Por isso, não é permanente, mas sim transitória. E é assim que a mente humana aplica o mecanismo das impossibilidades impossíveis. Afinal, temos a famosa e clássica frase da autoajuda que explica bem sobre este ponto: ‘por saber que não era impossível, foi lá e fez’. Tão profundo quanto inspirador, que até pode comover para se continuar a ladainha da superação. Não de se deve ceder a tais perigosos apelos e, por Sócrates, precisamos voltar ao cerne filosófico.”

A força que se encontra para ultrapassar a impossibilidade é tão poderosa que nem mesmo importará a veracidade do meio considerado capaz de anulá-la, pois apenas é suficiente existir algo, seja verdadeiro ou falso, para que possa anulá-la por completo na mente do sujeito sempre possível. Eis o motivo de a autoajuda adorar o tema da impossibilidade, pois já está plantado na mente humana desde sempre que tudo é sempre possível. E não precisam muito para excitar este pensamento de superação. Pois a impossibilidade é a kryptonita humana, a única entidade capaz de retirar todas as forças humanas e por isso ela é sempre anulada, até pelo próprio sentido de autopreservação, de uma forma ou outra, pois conviver com o impossível é algo extremamente destrutivo.(em O Guia Cínico e Selvagem dos Jogos da Vida, Cap. IV)

“Por isso, toda possibilidade é, antes de tudo, uma determinação, uma afirmação linguística e intencional convencionada sobre ela, seja crível ou não, seja mesmo ela mesmo possível ou não, seja lá o que for. A impossibilidade real é a declaração não feita, ou parte do que é desconhecido, é o silêncio e a falta de conceituação. Por isso, toda impossibilidade real está necessariamente fora da estrutura, e será desprezada como tal. É o espírito “quem” mais cria o mundo, afinal, e não apenas a mente individual, sempre uma acionista minoritária e irrelevante em relação ao espírito.” (em O Guia Cínico e Selvagem dos Jogos da Vida, Cap. XIV)

Conteúdo Protegido.

Deixe um comentário

X