glossário do esquema conceitual do possível serdual - lapso temporal

Lapso Temporal

“O lapso temporal ocorre quanto o sujeito hesitante revive este passado presente quando começa a questionar-se se o percurso feito até ali foi o mais apropriado, se era mesmo esta vitória e esta nova posição que queria realmente para si, pois estranha o que está a receber como vitória. O sujeito questiona-se a si mesmo, ao hesitar.

Este evento de lapso temporal passa a ser uma deslocação compulsória da situação inusitada em que se vê no presente para uma zona das impossibilidades que está projetada no futuro, pois não se pode mais desfazer o que já fez, e assim abre-se um abismo do tempo sob si, entre o passado e presente que passam a ser quase a mesma coisa a se distanciarem abissalmente do futuro, visto como impossível de ser viável. Pois, o que se percebe neste futuro é que será claustrofóbico, mais restrito, com menos possibilidades. E o futuro, sempre algo otimista e positivo, se transfigura e passa a ser o que assombra o sujeito. E isto é a contradição manifestada em forma de lapso temporal, ou simplesmente é o que se chama de ‘perder o chão’.” (em O Guia Cínico e Selvagem dos Jogos da Vida, Cap. IV)

Conteúdo Protegido.

Deixe um comentário

X